18 agosto, 2011

Mais de 1 milhão por dia suga aos contribuintes o parasita RTP..

RTP custa mais de 1 milhão por dia aos contribuintes!! Mário Crespo denuncia e é perseguido



Após ler a compilação das noticias abaixo citadas, sobressai uma simples conclusão - A RTP não é um serviço público mas um parasita público, dos portugueses.
Alguém acha normal que as TV´s privadas tenham lucros exorbitantes, mesmo sem apoio do estado, e a RTP com apoio do estado, não consegue dar lucro?
A RTP é gerida como se os seus gestores a quisessem falir. O povo paga os buracos e o Relvas não quis incomodar os privados. 
- Deixam as partes lucrativas paras as privadas. 
- Abdicam de mercados lucrativos
- Estão impedidos de ser competitivos, tendo apenas direito a metade do tempo dedicado a publicidade, que as privadas. 
Como podem estes senhores impor à RTP regras mais duras e menos lucrativas? Isso é certamente negociar contratos, lesando o interesse público. Não acredita, veja nesta Actualização, as palavras do Relvas a reconhecer que se recusa a permitir que a RTP prejudique as privadas.... Já o inverso... é totalmente permitido?   (29/3/12)

Após sucessivas noticias ao longo dos anos, referindo-se à RTP como receptora de subsídios estatais de muitos milhões de euros mais as taxas da conta da EDP... Eis que surge uma noticia inesperada no contexto a que já nos tínhamos habituado.
De repente no caos fez-se luz...  a RTP ficou repleta de gestores competentes e começa a dar lucros!!!!... para alegria de todos.

Noticias à medida das necessidades!?
ÚLTIMA HORA:  RTP DÁ LUCRO (contabilidade criativa)  " O resultado líquido da RTP aumentou 1,5 milhões de euros, para 24 milhões de euros, no primeiro semestre de 2011(...)Face a 2010, os rendimentos e ganhos cresceram 7,5 milhões para 164,9 milhões de euros, quando os gastos e perdas decresceram 14,5 milhões de euros" fonte
ANTES, E AO LONGO DOS ÚLTIMOS TEMPOS O QUE SE TRANSMITIA NOS ORGÃOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL : RTP, PARASITA  DOS PORTUGUESES
RTP parasita portugueses"Francisco Pinto Balsemão lembra os 250 milhões de euros que a RTP recebe, por ano, de subsídios estatais." fonte
"Entre taxa encapotada, financiamento oficial e publicidade, a televisão do Estado recebe anualmente 264 milhões de euros – uma verba que ultrapassa o orçamento do Ministério da Cultura. Mesmo assim, dá um prejuízo de 47 milhões. Para onde vai, afinal, o dinheiro do contribuinte?"A factura da EDP chega a todas as casas com electricidade em Portugal. Na conta, em letra miúda, figura um valor com a descrição ambígua de “Contribuição audiovisual”: 1,84 euros.."Em 2008, os portugueses pagaram à RTP 104 milhões de euros nesta taxa de televisão escondida nos recibos da electricidade.Mas não bastou: generoso, o Governo concedeu-lhe ainda mais 160 milhões de euros antes de impostos". fonte
"A televisão pública vai receber 89 milhões de euros (sem IVA) de indemnizações compensatórias, menos 32 milhões que em 2010. A Lusa, por outro lado, vai receber 18 milhões de euros (valor com IVA), mais cerca de 660 mil euros que em 2010." fonte
"A RTP e os operadores de transportes públicos, do Estado e privados, foram os principais responsáveis por este aumento dos subsídios ao sector empresarial, que se fixaram em 497 milhões de euros. A televisão pública beneficiou de uma subida de 2,7 milhões de euros. Ao mesmo tempo, e até ao terceiro trimestre, a RTP tinha recebido 88,15 milhões de euros em dotações de capital. Tudo junto dá 234 milhões de euros de transferências do Estado, o que compara com os 205,5 milhões de euros pagos à RTP o ano passado.A estes números serão ainda somados os 134,4 milhões de euros de receita da taxa audiovisual paga na factura eléctrica. No âmbito do pacote de medidas de austeridade para o Orçamento para 2011, aumento de 30% da taxa audiovisual representará por isso mais cerca de 40 milhões de euros, a pagar pelos portugueses através da factura de electricidade." fonte
"A estação pública vai receber mais 62 milhões do Estado, através de um aumento de capital que compensa o pagamento da dívida. Desde 2000, recebeu 2,4 mil milhões de euros dos cofres públicos. O Estado continua a injectar capital na estação pública de televisão, com o objectivo de a compensar pelo facto de as receitas comerciais se destinarem ao pagamento da dívida da empresa." fonte
"A empresa pública que recebe mais dinheiro do Estado é a RTP. Para assegurar que a RTP preste serviço público, o Estado transferiu em 2009, qualquer coisa como 143 milhões de euros para a televisão, mais um milhão do que em 2008. No total a RTP absorveu um terço do total destas indemnizações, mais do que a TAP (9 milhões de euros), a CP (34,7 milhões de euros), a Carris (54 milhões de euros), o Metro de Lisboa (28 milhões de euros) e o Metro do Porto (12,5 milhões de euros).fonte
 " 1,2 milhões para assessoria na RTP. Valor pago em quatro meses próximo do total de 2012 e início de 2013". FONTE
UMA EMPRESA que presta serviço público?
- O melhor serviço público que deveria prestar, era deixar parasitar os nossos impostos.
- Pagar ás suas pseudo vedetas os ordenados de luxo, com os lucros, em vez de usar os impostos cobrados ao povo.
- Podiam ainda fazer o serviço público de perguntar ao PÚBLICO se estão dispostos a pagar por uma TV que de público apenas tem as injecções de milhões do erário PÚBLICO.
É o desmazelo...
Querem um canal público? Comprem um horário em cada canal das privadas e façam lá o vosso serviço público. Certamente fica mais barato e acaba-se com os canais ao serviço dos partidos do governo. E o albergue de boys - Tendenciosos, duvidosos e dispendiosos.
Vedetas são as que conquistam audiências por mérito próprio, e não os que nos são impingidos e ainda lesam aos nossos impostos.




3 comentários :

  1. Da lucros, custa, e bla bla bla mas na hora de pagar até assaltam casas e roubam pianos novos pra manterem as aparências e dinheiro pra pagar a quem enviam pra guerra nem vê-los ou pra criativos de publicidade e produção reipaulo

    ResponderEliminar
  2. Dado que só votos em partidos entram nas contagens, o que penaliza um partido, não é a abstenção ou votos brancos/nulos, é votar noutro partido - porque se não votarmos, não estamos a negar o voto a ninguém. Estamos apenas a deixar que as decisões se concentrem num conjunto mais restrito do eleitorado, uma minoria - que inclui sempre as clientelas dos partidos e os clubistas acríticos.
    Temos também de esquecer o hábito da idolatria onde os maiores partidos são instituições que muitos acreditam que se devem preservar ao longo do tempo, independentemente do seu desempenho: com as regras actuais, temos sim de mostrar aos partidos que são descartáveis e têm de se esforçar para obter o apoio do eleitorado, caso contrário serão descartados.
    Convém compreender que, quanto mais fraca é a influência/vigilância do eleitorado sobre os deputados e governantes, mais forte é a influência de outras "forças" . Nunca há vazios de poder. O escrutínio dos portugueses foi sendo neutralizado devido ao aumento constante da abstenção, ao que temos que somar os votos brancos e nulos, é uma falha muito grave dos eleitores, na vigilância dos partidos que culmina no aumento da corrupção. Como os partidos não temem a critica nem a censura da maioria dos eleitores, porque esses não usam o voto válido, são os grupos de interesse que estão representados no parlamento, não os eleitores.

    Não me convencem as vossas desculpas de que se abstiveram para protestar caladinhos em casa ou que vos é realmente indiferente quem são os legisladores que vos representam. Se não encontraram diferenças é porque não se deram ao trabalho de as procurar. Mas também não vou invocar deveres abstractos de civismo e democracia para censurar a vossa preguiça. O meu problema convosco é mais concreto.
    No entanto, a democracia só funciona se cada um tentar perceber os problemas, estudar as propostas, pensar nas consequências, escolher as opções que prefere e der o seu parecer.
    Dá trabalho, demora tempo e é uma chatice, mas tem de ser assim porque não há alternativas aceitáveis. Esperamos por um ditador? Atiramos a moeda ao ar? Damos tudo aos interesseiros e fanáticos?
    Por isso, o que me chateia na vossa abstenção é a falta de colaboração num trabalho importante. Não é uma questão de direitos ou deveres cívicos em abstracto. O problema é concreto. Temos uma tarefa difícil, da qual depende o nosso futuro, e vocês ficam encostados sem fazer nada.
    Isto tem consequências graves para a democracia. Quando a maioria não quer saber das propostas dos partidos, está-se nas tintas para o desempenho dos candidatos e nem se importa se cumprem os programas ou não, o melhor que os partidos podem fazer para conquistar votos é dar espectáculo. Insultarem-se para aparecerem mais tempo na televisão ou porem o Marinho Pinto como cabeça de lista, por exemplo. Vocês dizem que se abstêm porque a política é uma palhaçada mas a política é uma palhaçada porque vocês não votam.
    A culpa é vossa porque não é preciso muita gente votar em palhaços para os palhaços ganharem. Basta que a maioria não vote. Também é por vossa culpa que os extremistas estão a ganhar terreno, e pela mesma razão. É fácil pôr os fanáticos a votar. Basta abanar o pano da cor certa e, se mais ninguém vota, eles ficam na maioria. Mas se vocês colaborassem e se dessem ao trabalho de avaliar as propostas dos partidos, se os responsabilizassem pelas promessas que fazem e votassem de acordo com o que acham ser a melhor solução, deixava de haver palhaços, interesseiros e imbecis na política.

    Na opinião de muitas pessoas, existe uma grande diferença entre a abstenção e o voto em branco. Imaginam que a abstenção é sinónimo de revolta, quando efectivamente é apenas considerado como desinteresse, alheamento e indiferença para com o futuro do nosso país.

    ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2015/09/so-votos-em-partidos-entram-nas.html#ixzz4e7VbKyHT

    ResponderEliminar